Está quase completando o tempo para se aposentar? Use o seu trabalho insalubre ou perigoso para atingir o tempo necessário.


O plus proveniente da insalubridade para fim de alcançar tempo de contribuição.

          Em tempo em que se fala tanto sobre “Reforma da Previdência” aqueles que estão “no quase” para completar o tempo de contribuição necessário são os que deveriam se atentar sobre o assunto de insalubridade nesse momento.

          Para saber se sua atividade diária é especial basta observar se no seu dia a dia no trabalho você fica exposto a agentes insalubres ou perigosos, isso de maneira habitual e permanente. Se esse for o caso, essa condição especial no trabalho deve ser comprovada por documentos (PPP – Perfil Profissional Previdenciário e um laudo técnico elaborado por engenheiro ou médico do trabalho).

          A exposição a agentes insalubres ou perigosos tem como consequência um aumento no tempo de contribuição, explico: 10 anos de atividade insalubre quando convertido para tempo de contribuição comum tem um aumento de 2 anos se mulher, e 4 anos se homem. Vou ilustrar mais uma vez, 10 anos de atividade especial se tornam 14 anos se trabalhados por homem, e esses mesmos 10 anos passam a contar como 12 anos se mulher. 

          Por isso, reitero, esse é um tema interessante para aqueles que estão quase alcançando o tempo de contribuição necessário.

         A lei divide a insalubridade em três agentes.

  1. Físicos;
  2. Químicos;
  3. Biológicos.

          Alguns agentes garantem que o seu trabalho seja considerado atividade especial pelo simples fato de você ter trabalhado em contato com eles. Esses são agentes insalubres qualitativos, que não dependem da quantidade a que você estava exposto.

          Outros agentes, no entanto, garantem o seu direito à aposentadoria especial somente se sua exposição for superior a uma determinada quantidade. São elencados como agentes insalubres quantitativos.

          Em resumo: alguns agentes não dependem da quantidade deles (os qualitativos) e outros dependem da quantidade de exposição (os quantitativos). São exemplo dos quantitativos, o calor e o Ruído, já que tem limites máximos acima dos quais o trabalho será considerado especial definidos em regulamento. É exemplo do qualitativo a exposição a vírus e bactérias aos quais profissionais como médicos, enfermeiros, magarefes, etc, estão expostos diariamente. Nesses casos, não há limite nenhum definido em lei – basta estar exposto.

          Para saber se você pode se beneficiar com esse direito, procure um advogado especializado e simule seu tempo de contribuição com o plus da insalubridade.

Leia também:

DESENVOLVO MINHA ATIVIDADE LABORAL EM PERÍODO INTERMITENTE, TENHO DIREITO A APOSENTADORIA ESPECIAL?

REVISÃO DA APOSENTADORIA PARA INCLUIR MAIS TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO.

          Pensamos ter colaborado com o seu entendimento acerca do tema. Caso tenha restado alguma dúvida, peço que poste-a abaixo, que terei o maior prazer em respondê-la.

Anterior O que mudou nos seus direitos, além do que a imprensa noticiou na reforma previdenciária
Próximo RUÍDO COMO ATIVIDADE INSALUBRE E A PERMANÊNCIA NO TRABALHO ESPECIAL.

Sugerimos que leia:

Aposentadoria especial do eletricista residencial (baixa tensão)

TENHO DIREITO AO BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO DE PENSÃO POR MORTE?

Aposentadoria de professor estatutário no Paraná

Gravidez de alto risco, dispensa carência para recebimento de auxílio-doença.