Tempo de Auxilio doença ou aposentadoria por invalidez conta como tempo de contribuição


          Tempo em que o trabalhador esteve  em Auxilio doença ou aposentadoria por invalidez conta como tempo de contribuição na hora da concessão da aposentadoria.

         O artigo 55, inciso II,que trata da comprovação do tempo de serviço, considera que “O tempo intercalado em que esteve em gozo de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez”, entra na contabilidade na hora de concessão da aposentadoria.  Vejamos um julgado do Tribunal Regional Federal:

PREVIDENCIÁRIO. TEMPO DE SERVIÇO RURAL.REGIME DE ECONOMIA FAMILIAR. PERÍODO EM GOZO DE AUXÍLIO-DOENCA. CÔMPUTO COMO TEMPO DE SERVIÇO E PARA FINS DE CARÊNCIA. APOSENTADORIA POR TEMPO DE SERVIÇO/CONTRIBUIÇÃO. CONCESSÃO. CORREÇÃO MONETÁRIA. JUROS MORATÓRIOS. APURAÇÃO DIFERIDA PARA A FASE DE EXECUÇÃO. 1. Comprovado o labor rural em regime de economia familiar, mediante a produção de início de prova material, corroborada por prova testemunhal idônea, o segurado faz jus ao cômputo do respectivo tempo de serviço. 2. O período em que o segurado esteve em gozo de auxílio-doença deve ser computado para efeito de tempo de serviço e de carência, desde que intercalado com períodos contributivos. 3. Tem direito à aposentadoria por tempo de serviço/contribuição o segurado que, mediante a soma do tempo judicialmente reconhecido com o tempo computado na via administrativa, possuir tempo suficiente e implementar os demais requisitos para a concessão do benefício... (TRF4, APELREEX 0007218-47.2016.404.9999, QUINTA TURMA, Relator ROGERIO FAVRETO, D.E. 14/12/2016)

Fonte: TRF4

          Ou seja, se você esteve temporariamente afastado de suas atividades por motivo de doença ou lesão e tenha retornado ao trabalho  você pode utilizar este período para fins de cálculos no seu tempo de serviço para se aposentar.

Procure um advogado especializado!

Gostou do tema, consulte outros.

ADICIONAL DE 25% EM CASO DE INVALIDEZ E DEPENDÊNCIA DE TERCEIRA PESSOA

SALÁRIO-MATERNIDADE: GARANTIA DO FORTALECIMENTO DO VÍNCULO FAMILIAR

Caso tenha alguma dúvida ou comentário, clique no botão abaixo.

Anterior Tribunal reconhece profissão de “marmorista” como atividade especial.
Próximo PPP, pode não comprovar a eficácia do EPI